quinta-feira, novembro 08, 2012

Exercício de História - Crise da Monarquia Brasileira.

1) (Mackenzie) O declínio da Monarquia e a propagação dos ideais republicanos, no final do século passado, ligam-se, sem dúvida, aos efeitos que a Guerra do Paraguai nos deixou como herança. Isto porque:

a) a vitória da Tríplice Aliança sobre o Paraguai implicou enormes prejuízos no campo diplomático, sobretudo em relação à Inglaterra.
b) a guerra acelerou as contradições internas, abalando a mais sólida base da Monarquia – a escravidão – e fazendo emergir um Exército com consciência de seu poder.
c) a derrota brasileira obrigou a Monarquia a concessões territoriais que abalaram a economia.
d) os partidos conservadores do Império opunham-se à guerra e defendiam a mudança das estruturas sociais internas.
e) embora nossa situação econômica se consolidasse com a guerra, a Monarquia não logrou reconciliar as duas facções de nossa política na época, o Partido Liberal e o Conservador.

2) (FGV–SP) Os últimos 19 anos da vida do Império brasileiro corresponderam, historicamente, à fase de decadência política do sistema instaurado em 1822 e que chegara a seu auge nas décadas de 1850 a 1860. Dentre os inúmeros fatos políticos que demonstraram essa situação de declínio, merecem destaque especial dois deles, não apenas pelas intensas repercussões que tiveram mas, principalmente, por ajudar a demolir as já instáveis bases de sustentação da Monarquia. Tratam-se das chamadas:

a) Questões Christie e Religiosa. 
b) “polêmicas” queremista e civilista.
c) Questões Religiosa e Militar.
d) “salvações” militar e eleitoral. 
e) Revoltas de Beckman e da Chibata. 

3) (Fuvest) O descontentamento do Exército, que culminou na Questão Militar no final do Império, pode ser atribuído:
a) às pressões exercidas pela Igreja junto aos militares para abolir a Monarquia.
b) à propaganda do militarismo sul-americano na imprensa brasileira.
c) às tendências ultra-democráticas das Forças Armadas, que desejavam conceder maior participação política aos analfabetos.
d) à ambição de iniciar um programa de expansão imperialista na América Latina.
e) à predominância do poder civil, que não prestigiava os militares e lhes proibia o debate político pela imprensa.

4) (UFF) Em 15 de novembro de 1889, um golpe militar derrubou a Monarquia e proclamou a República no Brasil. Os principais líderes do movimento republicano eram os militares descontentes com a política do Império e os cafeicultores paulistas. Entre os fatores que determinaram a ocorrência e o triunfo do golpe republicano, podemos anotar:

1- a influência de lideranças sindicais exercidas por estrangeiros de inspiração republicana e anarquista, vindos em massa para o Brasil após a Abolição da Escravatura, em 1888.
2- a relativa marginalização, durante o Império, dos representantes da cafeicultura paulista, que, apesar de serem responsáveis por uma das principais riquezas do país, não tinham equivalente prestígio político junto à Coroa.
3- o desentendimento entre oficiais do Exército e a cúpula do Império e a desagregação dos laços entre a Coroa e a Igreja Católica.

Assinale:
a) se somente a afirmação 1 estiver correta. 
b) se somente as afirmações 1 e 2 estiverem corretas. 
c) se somente as afirmações 1 e 3 estiverem corretas. 
d) se somente as afirmações 2 e 3 estiverem corretas. 
e) se nenhuma delas estiver correta. 

 05. Um dos fatores determinantes para a crise do Segundo Reinado foi a denominada "Questão Militar". Sobre essa questão e seus desdobramentos na política brasileira, são feitas as afirmações a seguir.

I - A "Questão Militar" foi uma clara demonstração da insatisfação de setores do Exército em relação às elites civis - os casacas -, que controlavam a política nacional.
II - Os integrantes do Exército que participaram da derrubada da Monarquia eram influenciados pelas idéias positivistas, sendo defensores de um projeto de república autoritário.
III - Após a instauração da República, os militares não intervieram mais na política nacional até a eclosão do golpe de 1964.

Quais estão corretas?

a) Apenas II. 
b) Apenas I e II. 
c) Apenas I e III. 
d) Apenas II e III. 
e) I, II e III.
############################################################################################################
















1) (Mackenzie) O declínio da Monarquia e a propagação dos ideais republicanos, no final do século passado, ligam-se, sem dúvida, aos efeitos que a Guerra do Paraguai nos deixou como herança. Isto porque:

a) a vitória da Tríplice Aliança sobre o Paraguai implicou enormes prejuízos no campo diplomático, sobretudo em relação à Inglaterra.
b) a guerra acelerou as contradições internas, abalando a mais sólida base da Monarquia – a escravidão – e fazendo emergir um Exército com consciência de seu poder.
c) a derrota brasileira obrigou a Monarquia a concessões territoriais que abalaram a economia.
d) os partidos conservadores do Império opunham-se à guerra e defendiam a mudança das estruturas sociais internas.
e) embora nossa situação econômica se consolidasse com a guerra, a Monarquia não logrou reconciliar as duas facções de nossa política na época, o Partido Liberal e o Conservador.

2) (FGV–SP) Os últimos 19 anos da vida do Império brasileiro corresponderam, historicamente, à fase de decadência política do sistema instaurado em 1822 e que chegara a seu auge nas décadas de 1850 a 1860. Dentre os inúmeros fatos políticos que demonstraram essa situação de declínio, merecem destaque especial dois deles, não apenas pelas intensas repercussões que tiveram mas, principalmente, por ajudar a demolir as já instáveis bases de sustentação da Monarquia. Tratam-se das chamadas:

a) Questões Christie e Religiosa. 
b) “polêmicas” queremista e civilista.
c) Questões Religiosa e Militar.
d) “salvações” militar e eleitoral. 
e) Revoltas de Beckman e da Chibata. 

3) (Fuvest) O descontentamento do Exército, que culminou na Questão Militar no final do Império, pode ser atribuído:
a) às pressões exercidas pela Igreja junto aos militares para abolir a Monarquia.
b) à propaganda do militarismo sul-americano na imprensa brasileira.
c) às tendências ultra-democráticas das Forças Armadas, que desejavam conceder maior participação política aos analfabetos.
d) à ambição de iniciar um programa de expansão imperialista na América Latina.
e) à predominância do poder civil, que não prestigiava os militares e lhes proibia o debate político pela imprensa.

4) (UFF) Em 15 de novembro de 1889, um golpe militar derrubou a Monarquia e proclamou a República no Brasil. Os principais líderes do movimento republicano eram os militares descontentes com a política do Império e os cafeicultores paulistas. Entre os fatores que determinaram a ocorrência e o triunfo do golpe republicano, podemos anotar:

1- a influência de lideranças sindicais exercidas por estrangeiros de inspiração republicana e anarquista, vindos em massa para o Brasil após a Abolição da Escravatura, em 1888.
2- a relativa marginalização, durante o Império, dos representantes da cafeicultura paulista, que, apesar de serem responsáveis por uma das principais riquezas do país, não tinham equivalente prestígio político junto à Coroa.
3- o desentendimento entre oficiais do Exército e a cúpula do Império e a desagregação dos laços entre a Coroa e a Igreja Católica.

Assinale:
a) se somente a afirmação 1 estiver correta. 
b) se somente as afirmações 1 e 2 estiverem corretas. 
c) se somente as afirmações 1 e 3 estiverem corretas. 
d) se somente as afirmações 2 e 3 estiverem corretas. 
e) se nenhuma delas estiver correta. 

 05. Um dos fatores determinantes para a crise do Segundo Reinado foi a denominada "Questão Militar". Sobre essa questão e seus desdobramentos na política brasileira, são feitas as afirmações a seguir.

I - A "Questão Militar" foi uma clara demonstração da insatisfação de setores do Exército em relação às elites civis - os casacas -, que controlavam a política nacional.
II - Os integrantes do Exército que participaram da derrubada da Monarquia eram influenciados pelas idéias positivistas, sendo defensores de um projeto de república autoritário.
III - Após a instauração da República, os militares não intervieram mais na política nacional até a eclosão do golpe de 1964.

Quais estão corretas?

a) Apenas II. 
b) Apenas I e II. 
c) Apenas I e III. 
d) Apenas II e III. 
e) I, II e III.
############################################################################################################
















1 comentários:

Reinaldo Arthur disse...

cade a poha do gabarito affs '-'