segunda-feira, maio 14, 2012

Exercício de Sociologia - Desigualdades Sociais.

01. De acordo com o caput do artigo 5º da Constituição Federal/1988 " Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, àigualdade, à segurança e à propriedade"... Contudo quando confrontamos com a realidade concreta podemos enxergar que esses direitos e garantias fundamentais não se materializam na vida cotidiana de vários brasileiros. Assim, fazendo uma relação com o estudo das desigualdades sociais, podemos afirmar que: 

a) A desigualdade social por ser um fenômeno natural de toda sociedade, na prática, o Estado não tem o dever de acabá-las. 
b) A norma jurídica em questão entra em confronto diretamente com a realidade efetiva, demonstrando assim que, mesmo assegurada por lei, a igualdade social não é efetivada de forma tão simples. 
c) As sociedades são naturalmente desiguais, os dispositivos jurídicos são os únicos mecanismos capazes de diminuir as desigualdades sociais. 
d) A desigualdade social não tem relações com as injustiças, já que os mecanismos jurídicos a condenam, retirando a possibilidade de haver uma relação entre as relações desiguais e as injustiças sociais. 
 
02. Sobre o processo de Desigualdades Sociais é INCORRETO afirmar que: 
a) De uma forma bastante ampla, as desigualdades que se manifestam em uma sociedade pode ser muito bem explicada ao analisarmos as suas raízes históricas, culturais e econômicas. 
b) As desigualdades sociais não são acidentais, mas produzidas por um conjunto de relações que abrangem as várias esferas da vida social. Esses fatores, não somente contribuem para o surgimento dessas desigualdades, como também contribui para que essas se multipliquem. 
c) A má distribuição de renda e a omissão do Estado pode ser considerado como fatores relevantes para a propagação das desigualdades sociais. 
d)As desigualdades sociais podem ser consideradas como produto de um conjunto de relações pautado na propriedade e na dominação e hegemonia de uma classe social sobre as demais. 
e) No contexto político e social o entendimento sobre as desigualdades sociais ultrapassam os limites culturais e somente devem ser explicados pelos critérios econômicos. 

 03. "Concebo na espécie humana duas espécie de desigualdades. Uma que chamo de natural ou física, porque é estabelecida pela natureza e que consiste na diferença das idades, da saúde, das forças do corpo e das qualidades do espírito ou da alma. A outra, pode-se chamar de desigualdade moral ou política porque depende de uma espécie de convenção e que é estabelecida ou pelo menos autorizada pelo consentimento dos homens. Estas consistem nos diferentes privilégios de que gozam algums em prejuízo dos outros, como ser mais rico, mais honrado, mais poderoso do que os outros ou mesmo fazer se obedecer por eles. (ROUSSEAU, Jean Jacques. A Origem da Desigualdade Entre os Homens). 

Diante do que foi lido podemos afirmar que: 
a) Mesmo havendo desigualdades naturais entre as pessoas, a origem das desigualdades sociais estão nos próprios valores sociais que guiam as condutas humanas para uma realidade desigual. 
b) Tanto as desigualdades naturais quanto sociais não podem ser justificadas pelo argumento sociológico. 
c) As sociedades naturalmente são pautadas por estruturas injustas e desiguais, assim, os valores morais não podem ser considerados como um fator da desigualdade. 
d) As desigualdades físicas e geracionais são as bases primordiais para o entendimento das desigualdades sociais. 
e) As desigualdades sociais não se relacionam com as formas de organização e de convenções coletivas definidas pelas pessoas que vivem em uma mesma sociedade. 

04. Dos fatores abaixo, NÃO podemos relacionar como uma das causas das desigualdades sociais: 
a) má distribuição de renda. 
b) omissão do Estado. 
c) perpetuação da pobreza. 
d) diferenças etárias e geracionais. 
e) racismo e injustiça.

05. Considerando o debate sociológico sobre o tema das “desigualdades sociais” no Brasil, julgue a veracidade das afirmativas:

0   0  O desemprego é uma condição de vida experimentada por muitos indivíduos na atualidade. Ele é analisado pelas teorias sociológicas como uma “questão social”, podendo ser um fenômeno que envolve diversos elementos estruturais de uma ou de várias sociedades.
 1     1 O aumento significativo do número de divórcios é resultado dos problemas que afetam os indivíduos em particular, destruindo lares e famílias, exigindo soluções específicas para cada pessoa.
2   2 As desigualdades socioeconômicas entre brancos e negros são explicadas pelo sentimento de inferioridade que os negros, historicamente, cultivaram, não tendo relação com o regime de produção baseado na monocultura, no latifúndio e na escravidão.
3   3 Os negros integram o grupo social que permanece por menos tempo na escola. A implantação de políticas públicas que tenham como meta sua inclusão no sistema formal de ensino integra, na atualidade, o grupo das ações afirmativas, discutidas pelas instituições de ensino superior.
4   4 O desemprego, o divórcio e as desigualdades socioeconômicas entre negros e brancos podem ser analisadas como “questões sociais” que produzem efeitos perversos exclusivamente nas classes sociais menos favorecidas.
############################################################################################################







01. De acordo com o caput do artigo 5º da Constituição Federal/1988 " Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, àigualdade, à segurança e à propriedade"... Contudo quando confrontamos com a realidade concreta podemos enxergar que esses direitos e garantias fundamentais não se materializam na vida cotidiana de vários brasileiros. Assim, fazendo uma relação com o estudo das desigualdades sociais, podemos afirmar que: 

a) A desigualdade social por ser um fenômeno natural de toda sociedade, na prática, o Estado não tem o dever de acabá-las. 
b) A norma jurídica em questão entra em confronto diretamente com a realidade efetiva, demonstrando assim que, mesmo assegurada por lei, a igualdade social não é efetivada de forma tão simples. 
c) As sociedades são naturalmente desiguais, os dispositivos jurídicos são os únicos mecanismos capazes de diminuir as desigualdades sociais. 
d) A desigualdade social não tem relações com as injustiças, já que os mecanismos jurídicos a condenam, retirando a possibilidade de haver uma relação entre as relações desiguais e as injustiças sociais. 
 
02. Sobre o processo de Desigualdades Sociais é INCORRETO afirmar que: 
a) De uma forma bastante ampla, as desigualdades que se manifestam em uma sociedade pode ser muito bem explicada ao analisarmos as suas raízes históricas, culturais e econômicas. 
b) As desigualdades sociais não são acidentais, mas produzidas por um conjunto de relações que abrangem as várias esferas da vida social. Esses fatores, não somente contribuem para o surgimento dessas desigualdades, como também contribui para que essas se multipliquem. 
c) A má distribuição de renda e a omissão do Estado pode ser considerado como fatores relevantes para a propagação das desigualdades sociais. 
d)As desigualdades sociais podem ser consideradas como produto de um conjunto de relações pautado na propriedade e na dominação e hegemonia de uma classe social sobre as demais. 
e) No contexto político e social o entendimento sobre as desigualdades sociais ultrapassam os limites culturais e somente devem ser explicados pelos critérios econômicos. 

 03. "Concebo na espécie humana duas espécie de desigualdades. Uma que chamo de natural ou física, porque é estabelecida pela natureza e que consiste na diferença das idades, da saúde, das forças do corpo e das qualidades do espírito ou da alma. A outra, pode-se chamar de desigualdade moral ou política porque depende de uma espécie de convenção e que é estabelecida ou pelo menos autorizada pelo consentimento dos homens. Estas consistem nos diferentes privilégios de que gozam algums em prejuízo dos outros, como ser mais rico, mais honrado, mais poderoso do que os outros ou mesmo fazer se obedecer por eles. (ROUSSEAU, Jean Jacques. A Origem da Desigualdade Entre os Homens). 

Diante do que foi lido podemos afirmar que: 
a) Mesmo havendo desigualdades naturais entre as pessoas, a origem das desigualdades sociais estão nos próprios valores sociais que guiam as condutas humanas para uma realidade desigual. 
b) Tanto as desigualdades naturais quanto sociais não podem ser justificadas pelo argumento sociológico. 
c) As sociedades naturalmente são pautadas por estruturas injustas e desiguais, assim, os valores morais não podem ser considerados como um fator da desigualdade. 
d) As desigualdades físicas e geracionais são as bases primordiais para o entendimento das desigualdades sociais. 
e) As desigualdades sociais não se relacionam com as formas de organização e de convenções coletivas definidas pelas pessoas que vivem em uma mesma sociedade. 

04. Dos fatores abaixo, NÃO podemos relacionar como uma das causas das desigualdades sociais: 
a) má distribuição de renda. 
b) omissão do Estado. 
c) perpetuação da pobreza. 
d) diferenças etárias e geracionais. 
e) racismo e injustiça.

05. Considerando o debate sociológico sobre o tema das “desigualdades sociais” no Brasil, julgue a veracidade das afirmativas:

0   0  O desemprego é uma condição de vida experimentada por muitos indivíduos na atualidade. Ele é analisado pelas teorias sociológicas como uma “questão social”, podendo ser um fenômeno que envolve diversos elementos estruturais de uma ou de várias sociedades.
 1     1 O aumento significativo do número de divórcios é resultado dos problemas que afetam os indivíduos em particular, destruindo lares e famílias, exigindo soluções específicas para cada pessoa.
2   2 As desigualdades socioeconômicas entre brancos e negros são explicadas pelo sentimento de inferioridade que os negros, historicamente, cultivaram, não tendo relação com o regime de produção baseado na monocultura, no latifúndio e na escravidão.
3   3 Os negros integram o grupo social que permanece por menos tempo na escola. A implantação de políticas públicas que tenham como meta sua inclusão no sistema formal de ensino integra, na atualidade, o grupo das ações afirmativas, discutidas pelas instituições de ensino superior.
4   4 O desemprego, o divórcio e as desigualdades socioeconômicas entre negros e brancos podem ser analisadas como “questões sociais” que produzem efeitos perversos exclusivamente nas classes sociais menos favorecidas.
############################################################################################################







2 comentários:

Nani Poggiali disse...

E as respostas?

Rodrigo Feitosa Magalhaes disse...

Não há gabarito ?!?!