sábado, dezembro 11, 2010

Breve Resumo Sobre a Era Vargas

“A Revolução de 1930 põe fim à hegemonia da burguesia do café, desenlace inscrito na própria forma de inserção do Brasil, no sistema capitalista internacional. Sem ser um produto mecânico da dependência externa, o episódio revolucionário, expressa a necessidade de reajustar a estrutura do país, cujo funcionamento, voltado essencialmente para um único gênero de exportação, se torna cada vez mais precário. A oposição ao predomínio da burguesia cafeeiro não provém, entretanto, de um setor industrial, supostamente interessado em expandir o mercado interno. Pelo contrário, dadas as características da formação social do país, na sua metrópole interna há uma complementaridade básica entre interesses agrários industriais, temperada pelas limitadas fricções.

Ao momento de reajuste do sistema, por isso mesmo, não corresponde o acesso ao poder do setor industrial, seja de modo direto, seja sob a forma da ‘revolução do alto’, promovida pelo Estado. A burguesia cafeeira se constitui ao longo da Primeira República como única classe nacional, no sentido de que só ela reúne condições para articular formas de ajustamento e integrar assim o país, na medida de seus interesses. Em face dela, não emerge nenhuma classe ou fração com semelhante força, capaz de oferecer uma alternativa econômica e política viável. A disputa, no interior das classes dominantes, tem a forma de um embate regional, mitigado pelos próprios limites da contestação.

Tendo-se em vista a passividade da massa rural, quebrada somente por explosões importantes, mas desprovidas de conteúdo político (Canudos, Contestado). Os limites de intervenção do proletariado, a heterogeneidade das classes médias, dependentes em regra dos núcleos ‘tradicionais’, o elo mais fraco do sistema é constituído pelo Exército e, no seu interior, pelos ‘tenentes’.

Na década de vinte, o tenentismo é o centro mais importante de ataque ao predomínio da burguesia cafeeiro, revelando traços específicos, que não podem ser reduzidos simplesmente ao protesto das classes médias. Se a sua contestação tem um conteúdo moderado, expresso em um tímido programa modernizador, a tática posta em prática é radical, e altera as regras do jogo, com a tentativa aberta de assumir o poder pelo caminho das armas. Sob este aspecto, embora inicialmente isolado, o movimento tenentista está muito à frente de todas as oposições regionais, ao iniciar a luta, em julho de 1922.

O agravamento das tensões no curso da década de vinte, as peripécias eleitorais das eleições de 1930, a crise econômica propiciam a criação de uma frente difusa, em março/outubro de 1930, que traduz a ambigüidade da resposta à dominação da classe hegemônica: em equilíbrio instável, contando com o apoio das classes médias de todos os centros urbanos, reúnem-se o setor militar, agora ampliado com alguns quadros superiores, e as classes dominantes regionais.

Vitoriosa a revolução, abre-se uma espécie de vazio de poder, por força do colapso político da burguesia do café e da incapacidade das demais frações de classe para assumi-lo, em caráter exclusivo. O Estado de compromisso é a resposta para esta situação. Embora os limites da ação do Estado sejam ampliados para além da consciência e das intenções de seus agentes, sob o impacto da crise econômica, o novo governo representa mais uma transação no interior das classes dominantes, tão bem expressa na intocabilidade sagrada das relações sociais no campo.

Mas o reajuste, obtido após um doloroso processo de gestação — marcado pela Revolução de 1932, a Ação Integralista, a liquidação do tenentismo como movimento autônomo, a Aliança Nacional Libertadora e a tentativa insurrecional de 1935 — significa uma guinada importante no processo histórico brasileiro. A mudança entre o poder estatal e a classe operária é a condição do populismo; a perda do comando político pelo centro dominante, associada à nova forma de Estado, possibilita, em longo prazo, o desenvolvimento industrial, no marco do compromisso; as Forças Armadas tornam-se um fator decisivo como sustentáculo de um Estado que ganha maior autonomia, em relação ao conjunto da sociedade.

Na descontinuidade de outubro - 1930, o Brasil começa a trilhar enfim o caminho da maioridade política. Paradoxalmente, na mesma época em que tanto se insistia nos caminhos originais autenticamente brasileiros, para a solução dos problemas nacionais, iniciava-se o processo de efetiva constituição das classes dominadas, abriam-se os caminhos nem sempre lineares da polarização de classes e as grandes correntes ideológicas que dividem o mundo contemporâneo penetravam no país”.
Boris Fausto, A Revolução de 1930, p. 112 e 113.


Governo Provisório (1930-1934)

1. Dissolução do Congresso nacional e criação dos interventores estaduais.
2. Trabalhismo como estratégia para conquistar a classe trabalhadora brasileira.
3. Criação do Ministério do Trabalho.
4. Política de Valorização do café.

A Revolução Constitucionalista de 1932:

Movimento promovido pela oposição paulista formada por cafeicultores e liberais. Esses setores exigiam a criação de uma Constituição brasileira.  Após conflitos políticos e armados, a Assembléia Constituinte foi convocada em 1933 e o Brasil viu sua nova Constituição em 1934, no qual foram consolidados os interesses das oligarquias, dos tenentes, dos sindicalistas, dos profissionais liberais e dos funcionários públicos.

Alguns Pontos Presentes na Constituição de 1934.

1.Manutenção da autonomia dos estados em âmbitos como o comércio exterior.
2.Incorporação de Leis Trabalhistas
3.Ensino Primário publico e gratuito.
4.O Estado como um interventor da economia.
5.Monopólio das riquezas minerais.

A Constituição promulgada em 1934 empossou Getúlio Vargas por mais 4 anos de poder. Tal documento tinha um caráter liberal-democrático, que manteve os mandatos por 4 anos, sem direito a reeleição.Um misto entre liberalismo e centralismo, o documento foi marcado pelo voto secreto e universal apenas para os alfabetizados, além disso, temos também a nacionalização dos bancos e a divisão dos poderes políticos em Executivo, Judiciário e Legislativo, tendo o Executivo maior poder. Graças à Constituição de 1934, houve reformas institucionais, que permitiram a modernização econômica – política de substituição das importações e a implantação de uma indústria de base e social, a consolidação da legislação trabalhista. No Campo, porem, as estruturas continuaram as mesmas, uma vez que as oligarquias tradicionais se compuseram com Vargas, ele próprio fazendeiro.

Governo Constitucional (1934-1937):

Foi uma continuidade legitimada do anterior. No plano político foi marcado pela polarização ideológica inspirada no quadro político internacional. Formaram-se partidos de direita, influenciados pelo fascismo e de esquerda, orientados pelo Socialismo.

Pontos de Análise:
Fascismo Brasileiro: Ação Integralista Brasileira.
Intentona Comunista (1935): Aliança Nacional Libertadora - ANL.
Economia controlada pelo Estado e limite à entrada de capital estrangeiro.

O ano de 1937 foi marcado por profunda tensão, pois vários os setores sociais passaram a lançar candidaturas presidenciais. Vargas passou a ter o apoio das elites agrárias que temerosas na ascensão do comunismo, passaram a defender a continuidade do governo de Vargas. Principalmente aoós a divulgação do Plano COHEN, visando mobilizar a opinião pública contra o Comunismo no Brasil.  E em 10 de novembro do mesmo ano,  um Golpe de Estado se instalou no Brasil dando inicio a um período ditatorial denominado de Estado Novo.

O Estado Novo (1937-1945)

1. Brasil em Estado de Emergência.
2. Fim do Federalismo Político.
3. Aparelhos de doutrinação social: Educação e o programa: a Hora do Brasil. Ensino da Moral e cívica nas escolas, respeito ao civismo no país, além da criação do DIP – Departamento de Impressa e Propaganda.
4. Segunda Guerra Mundial (1939 – 1944)
5. Políticas Agrícolas: equilíbrio do café e incentivo a diversificação agrícola – algodão, frutas tropicais e cana-de-açúcar.
6. Industrialização Brasileira: Produção Nacional, objetivando substituir as importações.
7. Criação de Empresas Estatais: Companhia Vale do Rio Doce e a Companhia Siderúrgica Nacional
8. Consolidação das Leis do Trabalho – CLT.

FIM DO ESTADO NOVO:

Retorno a vida partidária Brasileira:
UDN – União Democrática Nacional.
PSD – Partido Social Democrático.
PTB – Partido Trabalhista Brasileiro.
PSP – Partido Social Progressista.
PCB – Partido Comunista do Brasil.

Candidatos nas Eleições de 1945:
General Eurico Gaspar Dutra (PSD E PTB)
Brigadeiro Eduardo Gomes (UDN)
Yedo Fiúza (PCB)

Com o apoio de Vargas, o general Emílio Gaspar Dutra venceu as eleições presidenciais, dando fim ao período ditatorial da política de Vargas.

EXERCÍCIOS:

01. As crises política, social e cultural das décadas de 20 e 30 no Brasil estão associadas a vários movimentos, entre eles o tenentismo, que pode ser definido como:
a) movimento social com marcada participação das classes populares urbanas.
b) manifestação de parcela do Exército representada pelos oficiais mais jovens.
c) expressão das dissidências político-eleitorais entre as oligarquias dominantes.
d) revolução agrária caracterizada pelo levante das populações rurais em função da Coluna Prestes.
e) união das classes médias urbanas com as oligarquias cafeeiros em oposição aos movimentos populares.

02. Análise o significado da Revolução de 1930 nas alternativas abaixo:
a) Representou uma drástica transformação em todo sistema social, bem como nas estruturas econômicas e políticas brasileiras.
b) As oligarquias fizeram composições com o novo governo e as transformações institucionais abriram caminho para a modernização econômica e social do país.
c) A questão Agrária foi solucionada estendendo-se também as leis trabalhistas as classes agrárias.
d) O tenentismo, braço armado da revolução, dominou o governo, impondo seu ideário, sobretudo a partir da Revolução Paulista de 1932.
e) Vargas isolou-se dos demais segmentos sociais, constituindo um grupo homogêneo apoiado, exclusivamente pela burguesia industrial.

03. A respeito da Revolução de 1930 podemos afirmar que:
a) O movimento tenentista dominou o poder, impondo seu ideário, sobretudo após a revolução de 1932.
b) A revolução representou uma drástica transformação nas estruturas econômicas e políticas, alterando, profundamente, as condições sociais brasileiras, sobretudo nas áreas rurais.
c) Com a extensão da legislação trabalhista ao campo e com a consolidação da Reforma Agrária, a vida dos segmentos rurais melhorou significativamente.
d) O Estado não era expressão direta da hegemonia de grupo ou Classes Sociais, mas se converteu num poderoso instrumento de acumulação de capitais e de intervenção na economia.
e) Vargas, após 1930 formou um grupo homogêneo no poder, constituindo unicamente da burguesa industrial, junto as classes urbanas.

04. No Brasil, a estrutura democrático-liberal da Primeira Republica (1889 – 1930) apresenta as seguintes características exceto:
a) Ausência de partidos políticos nacionais, sendo o pais praticamente governado como uma fazenda.
b) Estrutura oligárquica, ajustada aos interesses das principais regiões agrícolas do país.
c) Predomínio dos grandes estados através da Republica do Café-com-Leite.
d) Sistema eleitoral que estabelece o voto secreto e direto para os cidadãos maiores de 18 anos.

05 O integralismo foi um movimento de direita inspirado no fascismo, bastante atuante no primeiro período da Era Vargas, sobretudo em 1934/1937. Ao fascismo integralista se opunha a chamada esquerda aliancista, que tinha à frente o PCB de Prestes. A respeito do Integralismo, fazia parte de sua ideologia o:
a) Comunismo.
b) Antimilitarismo.
c) Monopartidarismo.
d) Esquerdismo.
e) Antinacionalismo.

06. Eram características da doutrina defendida pela Ação Integralista Brasileira:
a) Defesa da ditadura do proletariado e combate a democracia.
b) Liberalismo econômico e autoritarismo político.
c) Liberdade de expressão e defesa da reforma agrária.
d) Concepção corporativista de sociedade e ideologia nacionalista.
e) Ateísmo e perspectiva totalitária.

07. O código eleitoral de 1932 significou um avanço importante em termos de exercício da democracia no Brasil. Entre as medidas nele consagradas estavam:
a) Direito ao voto para maiores de 18 anos, direito ao voto para os analfabetos e direito ao voto para as mulheres.
b) Introdução do voto secreto, direito ao voto para maiores de 18 anos, direito ao voto para analfabetos.
c) Criação de uma Justiça Eleitoral, voto censitário, direito ao voto para maiores de 18 anos.
d) Voto censitário, direito ao voto para analfabetos e o voto secreto.
e) Introdução do voto secreto, criação da justiça eleitoral, direito ao voto para as mulheres.

08. O Estado exerce a função de Juiz nas relações entre empregados e empregadores, porque corrige excessos, evita choques e distribui, equitativamente, vantagens. A frase proferida pelo ministro do Trabalho Alexandre Marcondes Filho, remete:
a) A legislação contra anarquistas imigrantes formuladas pelo parlamentar Adolfo Gordo.
b) As intervenções em sindicatos efetuadas pelo Regime Militar.
c) A sistematização das leis trabalhistas efetuadas durante o primeiro governo de Getulio Vargas.
d) A institucionalização da Justiça do Trabalho feita no governo de Washington Luis.
e) A criação do FGTS e do 13º salário pelo segundo governo Vargas.

09. A alternativa em que se caracteriza o Estado Novo é:
a) Ditadura instaurada por Vargas, de feições corporativas.
b) Período da história do Brasil iniciado no governo de Figueiredo.
c) Período iniciado com o processo de redemocratização.
d) Plano de governo de Juscelino Kubitschek que deliberava a construção de Brasília.
e) Regime de governo inaugurado após a Revolução de 1930.

10. O Governo de Getúlio Vargas, durante o qual foi instituído o Estado Novo, terminou em outubro de 1945 por:
a) Fim do mandato.
b) Renuncia.
c) Morte Natural.
d) Deposição por Golpe Militar.
e) Suicídio.

11. Organizada no final da década de 1920 a Aliança Liberal tinha como principal objetivo:
a) Apresentar um candidato de oposição Julio Prestes, indicado pelo partido republicano às eleições presidenciais, que se realizaram em 1930.
b) combater a ideologia tenentista que, desde 1922, vinha insuflando levantes armados em varias regiões do Brasil.
c) apoiar o líder comunista Luis Carlos Prestes nas eleições presidenciais que deveriam realizar-se naquele período.
d) Defender os interesses dos latifundiários paulistas que estavam em prejuízo com o comercio de café no mercado internacional.
e) apoiar o presidente Getúlio Vargas no processo de instauração do Estado Novo.
############################################################################################################
























  
“A Revolução de 1930 põe fim à hegemonia da burguesia do café, desenlace inscrito na própria forma de inserção do Brasil, no sistema capitalista internacional. Sem ser um produto mecânico da dependência externa, o episódio revolucionário, expressa a necessidade de reajustar a estrutura do país, cujo funcionamento, voltado essencialmente para um único gênero de exportação, se torna cada vez mais precário. A oposição ao predomínio da burguesia cafeeiro não provém, entretanto, de um setor industrial, supostamente interessado em expandir o mercado interno. Pelo contrário, dadas as características da formação social do país, na sua metrópole interna há uma complementaridade básica entre interesses agrários industriais, temperada pelas limitadas fricções.

Ao momento de reajuste do sistema, por isso mesmo, não corresponde o acesso ao poder do setor industrial, seja de modo direto, seja sob a forma da ‘revolução do alto’, promovida pelo Estado. A burguesia cafeeira se constitui ao longo da Primeira República como única classe nacional, no sentido de que só ela reúne condições para articular formas de ajustamento e integrar assim o país, na medida de seus interesses. Em face dela, não emerge nenhuma classe ou fração com semelhante força, capaz de oferecer uma alternativa econômica e política viável. A disputa, no interior das classes dominantes, tem a forma de um embate regional, mitigado pelos próprios limites da contestação.

Tendo-se em vista a passividade da massa rural, quebrada somente por explosões importantes, mas desprovidas de conteúdo político (Canudos, Contestado). Os limites de intervenção do proletariado, a heterogeneidade das classes médias, dependentes em regra dos núcleos ‘tradicionais’, o elo mais fraco do sistema é constituído pelo Exército e, no seu interior, pelos ‘tenentes’.

Na década de vinte, o tenentismo é o centro mais importante de ataque ao predomínio da burguesia cafeeiro, revelando traços específicos, que não podem ser reduzidos simplesmente ao protesto das classes médias. Se a sua contestação tem um conteúdo moderado, expresso em um tímido programa modernizador, a tática posta em prática é radical, e altera as regras do jogo, com a tentativa aberta de assumir o poder pelo caminho das armas. Sob este aspecto, embora inicialmente isolado, o movimento tenentista está muito à frente de todas as oposições regionais, ao iniciar a luta, em julho de 1922.

O agravamento das tensões no curso da década de vinte, as peripécias eleitorais das eleições de 1930, a crise econômica propiciam a criação de uma frente difusa, em março/outubro de 1930, que traduz a ambigüidade da resposta à dominação da classe hegemônica: em equilíbrio instável, contando com o apoio das classes médias de todos os centros urbanos, reúnem-se o setor militar, agora ampliado com alguns quadros superiores, e as classes dominantes regionais.

Vitoriosa a revolução, abre-se uma espécie de vazio de poder, por força do colapso político da burguesia do café e da incapacidade das demais frações de classe para assumi-lo, em caráter exclusivo. O Estado de compromisso é a resposta para esta situação. Embora os limites da ação do Estado sejam ampliados para além da consciência e das intenções de seus agentes, sob o impacto da crise econômica, o novo governo representa mais uma transação no interior das classes dominantes, tão bem expressa na intocabilidade sagrada das relações sociais no campo.

Mas o reajuste, obtido após um doloroso processo de gestação — marcado pela Revolução de 1932, a Ação Integralista, a liquidação do tenentismo como movimento autônomo, a Aliança Nacional Libertadora e a tentativa insurrecional de 1935 — significa uma guinada importante no processo histórico brasileiro. A mudança entre o poder estatal e a classe operária é a condição do populismo; a perda do comando político pelo centro dominante, associada à nova forma de Estado, possibilita, em longo prazo, o desenvolvimento industrial, no marco do compromisso; as Forças Armadas tornam-se um fator decisivo como sustentáculo de um Estado que ganha maior autonomia, em relação ao conjunto da sociedade.

Na descontinuidade de outubro - 1930, o Brasil começa a trilhar enfim o caminho da maioridade política. Paradoxalmente, na mesma época em que tanto se insistia nos caminhos originais autenticamente brasileiros, para a solução dos problemas nacionais, iniciava-se o processo de efetiva constituição das classes dominadas, abriam-se os caminhos nem sempre lineares da polarização de classes e as grandes correntes ideológicas que dividem o mundo contemporâneo penetravam no país”.
Boris Fausto, A Revolução de 1930, p. 112 e 113.


Governo Provisório (1930-1934)

1. Dissolução do Congresso nacional e criação dos interventores estaduais.
2. Trabalhismo como estratégia para conquistar a classe trabalhadora brasileira.
3. Criação do Ministério do Trabalho.
4. Política de Valorização do café.

A Revolução Constitucionalista de 1932:

Movimento promovido pela oposição paulista formada por cafeicultores e liberais. Esses setores exigiam a criação de uma Constituição brasileira.  Após conflitos políticos e armados, a Assembléia Constituinte foi convocada em 1933 e o Brasil viu sua nova Constituição em 1934, no qual foram consolidados os interesses das oligarquias, dos tenentes, dos sindicalistas, dos profissionais liberais e dos funcionários públicos.

Alguns Pontos Presentes na Constituição de 1934.

1.Manutenção da autonomia dos estados em âmbitos como o comércio exterior.
2.Incorporação de Leis Trabalhistas
3.Ensino Primário publico e gratuito.
4.O Estado como um interventor da economia.
5.Monopólio das riquezas minerais.

A Constituição promulgada em 1934 empossou Getúlio Vargas por mais 4 anos de poder. Tal documento tinha um caráter liberal-democrático, que manteve os mandatos por 4 anos, sem direito a reeleição.Um misto entre liberalismo e centralismo, o documento foi marcado pelo voto secreto e universal apenas para os alfabetizados, além disso, temos também a nacionalização dos bancos e a divisão dos poderes políticos em Executivo, Judiciário e Legislativo, tendo o Executivo maior poder. Graças à Constituição de 1934, houve reformas institucionais, que permitiram a modernização econômica – política de substituição das importações e a implantação de uma indústria de base e social, a consolidação da legislação trabalhista. No Campo, porem, as estruturas continuaram as mesmas, uma vez que as oligarquias tradicionais se compuseram com Vargas, ele próprio fazendeiro.

Governo Constitucional (1934-1937):

Foi uma continuidade legitimada do anterior. No plano político foi marcado pela polarização ideológica inspirada no quadro político internacional. Formaram-se partidos de direita, influenciados pelo fascismo e de esquerda, orientados pelo Socialismo.

Pontos de Análise:
Fascismo Brasileiro: Ação Integralista Brasileira.
Intentona Comunista (1935): Aliança Nacional Libertadora - ANL.
Economia controlada pelo Estado e limite à entrada de capital estrangeiro.

O ano de 1937 foi marcado por profunda tensão, pois vários os setores sociais passaram a lançar candidaturas presidenciais. Vargas passou a ter o apoio das elites agrárias que temerosas na ascensão do comunismo, passaram a defender a continuidade do governo de Vargas. Principalmente aoós a divulgação do Plano COHEN, visando mobilizar a opinião pública contra o Comunismo no Brasil.  E em 10 de novembro do mesmo ano,  um Golpe de Estado se instalou no Brasil dando inicio a um período ditatorial denominado de Estado Novo.

O Estado Novo (1937-1945)

1. Brasil em Estado de Emergência.
2. Fim do Federalismo Político.
3. Aparelhos de doutrinação social: Educação e o programa: a Hora do Brasil. Ensino da Moral e cívica nas escolas, respeito ao civismo no país, além da criação do DIP – Departamento de Impressa e Propaganda.
4. Segunda Guerra Mundial (1939 – 1944)
5. Políticas Agrícolas: equilíbrio do café e incentivo a diversificação agrícola – algodão, frutas tropicais e cana-de-açúcar.
6. Industrialização Brasileira: Produção Nacional, objetivando substituir as importações.
7. Criação de Empresas Estatais: Companhia Vale do Rio Doce e a Companhia Siderúrgica Nacional
8. Consolidação das Leis do Trabalho – CLT.

FIM DO ESTADO NOVO:

Retorno a vida partidária Brasileira:
UDN – União Democrática Nacional.
PSD – Partido Social Democrático.
PTB – Partido Trabalhista Brasileiro.
PSP – Partido Social Progressista.
PCB – Partido Comunista do Brasil.

Candidatos nas Eleições de 1945:
General Eurico Gaspar Dutra (PSD E PTB)
Brigadeiro Eduardo Gomes (UDN)
Yedo Fiúza (PCB)

Com o apoio de Vargas, o general Emílio Gaspar Dutra venceu as eleições presidenciais, dando fim ao período ditatorial da política de Vargas.

EXERCÍCIOS:

01. As crises política, social e cultural das décadas de 20 e 30 no Brasil estão associadas a vários movimentos, entre eles o tenentismo, que pode ser definido como:
a) movimento social com marcada participação das classes populares urbanas.
b) manifestação de parcela do Exército representada pelos oficiais mais jovens.
c) expressão das dissidências político-eleitorais entre as oligarquias dominantes.
d) revolução agrária caracterizada pelo levante das populações rurais em função da Coluna Prestes.
e) união das classes médias urbanas com as oligarquias cafeeiros em oposição aos movimentos populares.

02. Análise o significado da Revolução de 1930 nas alternativas abaixo:
a) Representou uma drástica transformação em todo sistema social, bem como nas estruturas econômicas e políticas brasileiras.
b) As oligarquias fizeram composições com o novo governo e as transformações institucionais abriram caminho para a modernização econômica e social do país.
c) A questão Agrária foi solucionada estendendo-se também as leis trabalhistas as classes agrárias.
d) O tenentismo, braço armado da revolução, dominou o governo, impondo seu ideário, sobretudo a partir da Revolução Paulista de 1932.
e) Vargas isolou-se dos demais segmentos sociais, constituindo um grupo homogêneo apoiado, exclusivamente pela burguesia industrial.

03. A respeito da Revolução de 1930 podemos afirmar que:
a) O movimento tenentista dominou o poder, impondo seu ideário, sobretudo após a revolução de 1932.
b) A revolução representou uma drástica transformação nas estruturas econômicas e políticas, alterando, profundamente, as condições sociais brasileiras, sobretudo nas áreas rurais.
c) Com a extensão da legislação trabalhista ao campo e com a consolidação da Reforma Agrária, a vida dos segmentos rurais melhorou significativamente.
d) O Estado não era expressão direta da hegemonia de grupo ou Classes Sociais, mas se converteu num poderoso instrumento de acumulação de capitais e de intervenção na economia.
e) Vargas, após 1930 formou um grupo homogêneo no poder, constituindo unicamente da burguesa industrial, junto as classes urbanas.

04. No Brasil, a estrutura democrático-liberal da Primeira Republica (1889 – 1930) apresenta as seguintes características exceto:
a) Ausência de partidos políticos nacionais, sendo o pais praticamente governado como uma fazenda.
b) Estrutura oligárquica, ajustada aos interesses das principais regiões agrícolas do país.
c) Predomínio dos grandes estados através da Republica do Café-com-Leite.
d) Sistema eleitoral que estabelece o voto secreto e direto para os cidadãos maiores de 18 anos.

05 O integralismo foi um movimento de direita inspirado no fascismo, bastante atuante no primeiro período da Era Vargas, sobretudo em 1934/1937. Ao fascismo integralista se opunha a chamada esquerda aliancista, que tinha à frente o PCB de Prestes. A respeito do Integralismo, fazia parte de sua ideologia o:
a) Comunismo.
b) Antimilitarismo.
c) Monopartidarismo.
d) Esquerdismo.
e) Antinacionalismo.

06. Eram características da doutrina defendida pela Ação Integralista Brasileira:
a) Defesa da ditadura do proletariado e combate a democracia.
b) Liberalismo econômico e autoritarismo político.
c) Liberdade de expressão e defesa da reforma agrária.
d) Concepção corporativista de sociedade e ideologia nacionalista.
e) Ateísmo e perspectiva totalitária.

07. O código eleitoral de 1932 significou um avanço importante em termos de exercício da democracia no Brasil. Entre as medidas nele consagradas estavam:
a) Direito ao voto para maiores de 18 anos, direito ao voto para os analfabetos e direito ao voto para as mulheres.
b) Introdução do voto secreto, direito ao voto para maiores de 18 anos, direito ao voto para analfabetos.
c) Criação de uma Justiça Eleitoral, voto censitário, direito ao voto para maiores de 18 anos.
d) Voto censitário, direito ao voto para analfabetos e o voto secreto.
e) Introdução do voto secreto, criação da justiça eleitoral, direito ao voto para as mulheres.

08. O Estado exerce a função de Juiz nas relações entre empregados e empregadores, porque corrige excessos, evita choques e distribui, equitativamente, vantagens. A frase proferida pelo ministro do Trabalho Alexandre Marcondes Filho, remete:
a) A legislação contra anarquistas imigrantes formuladas pelo parlamentar Adolfo Gordo.
b) As intervenções em sindicatos efetuadas pelo Regime Militar.
c) A sistematização das leis trabalhistas efetuadas durante o primeiro governo de Getulio Vargas.
d) A institucionalização da Justiça do Trabalho feita no governo de Washington Luis.
e) A criação do FGTS e do 13º salário pelo segundo governo Vargas.

09. A alternativa em que se caracteriza o Estado Novo é:
a) Ditadura instaurada por Vargas, de feições corporativas.
b) Período da história do Brasil iniciado no governo de Figueiredo.
c) Período iniciado com o processo de redemocratização.
d) Plano de governo de Juscelino Kubitschek que deliberava a construção de Brasília.
e) Regime de governo inaugurado após a Revolução de 1930.

10. O Governo de Getúlio Vargas, durante o qual foi instituído o Estado Novo, terminou em outubro de 1945 por:
a) Fim do mandato.
b) Renuncia.
c) Morte Natural.
d) Deposição por Golpe Militar.
e) Suicídio.

11. Organizada no final da década de 1920 a Aliança Liberal tinha como principal objetivo:
a) Apresentar um candidato de oposição Julio Prestes, indicado pelo partido republicano às eleições presidenciais, que se realizaram em 1930.
b) combater a ideologia tenentista que, desde 1922, vinha insuflando levantes armados em varias regiões do Brasil.
c) apoiar o líder comunista Luis Carlos Prestes nas eleições presidenciais que deveriam realizar-se naquele período.
d) Defender os interesses dos latifundiários paulistas que estavam em prejuízo com o comercio de café no mercado internacional.
e) apoiar o presidente Getúlio Vargas no processo de instauração do Estado Novo.
############################################################################################################
























  

1 comentários:

Anônimo disse...

de que adianta ter a pergunta se não tem as respostas para conferir!